Benvindo a Pirenópolis
Benvindo a Pirenópolis

O Centro Histórico

Tombada como patrimônio histórico, o centro da cidade de Pirenópolis mantém ainda os casarões do século XVIII, igrejas e museus, aninhados sobre ruas de pedras quartzíticas e debruçados sobre o límpido Rio das Almas. É realmente encantadora!

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

Construída originalmente em taipa-de-pilão entre 1728 e 1732, é considerada o maior e mais antigo monumento histórico-eclesiástico do Estado de Goiás.

Taxa de visitação: R$ 2,00

Veja mais...

Igreja de Nosso Senhor do Bonfim

Construída em taipa-de-pilão entre 1750 e 1754, por iniciativa particular do Sargento-mor Antônio José de Campos. Ainda preserva em seu interior elementos artísticos originais.

Taxa de visitação: R$ 2,00.

Veja mais...

Igreja de Nossa Senhora do Carmo e Museu de Arte Sacra

Construída em 1750, por iniciativa particular de Antônio Rodrigues Frota. Possui em seus interior belos elementos artísticos do século XVIII. O local abriga o Museu de Arte Sacra de Pirenópolis.

Taxa de visitação: R$ 2,50.

Veja mais...

Casa de Câmara e Cadeia

Este prédio, considerado monumento histórico do acervo de Pirenópolis, apesar de não ser do período colonial, foi construído em 1919 como réplica do original que existia ao lado da Igreja Matriz. Até 1999, o robusto sobrado, por incrível que pareça, ainda funcionava como Casa de Câmara e Cadeia, onde no pavimento superior estava instalada a Câmara Legislativa Municipal e no inferior a Cadeia Pública.

Em 1999, a Câmara deixa o prédio, que já se encontrava em péssimo estado de conservação, e o pavimento superior acabou sendo ocupado provisóriamente pelo Corpo de Bombeiros, que logo o desocupa e ficando, ainda, o pavimento inferior como Cadeia. Em dezembro de 2005, a cadeia deixa o prédio e ele entra em processo de restauração pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Ao iniciar a restauração, o IPHAN encontra o prédio em péssimo estado, paredes e parte do telhado estavam prestes a ruir, o soalho de madeira do pavimento superior estava apodrecido e, por se tratar de uma cadeia, as janelas haviam sido parcialmente obstruídas com tijolos, a rede de água e luz estavam péssimas e o esgoto, no caso fossas negras, eram subdimensionadas. O projeto de restauração gastou 240 mil reais dos cofres federais, recurso do próprio IPHAN, e efetuou várias modificações: as 4 celas externas ao prédio e o pátio foram transformados em banheiros, cozinha e jardim. Internamente, no piso inferior, uma parede foi eliminada unindo 2 das 3 celas que existiam, formando uma ampla sala. O acesso ao pavimento superior foi modificado, ao invés da entrada externa, lateral, como uma íngreme escada de madeira sem corrimão, como havia, foi substituída a porta externa por janelas com grades e uma escada de madeira menos íngrime com corrimão de ferro. A novidade é um rústico elevador, justa exigência legal para portadores de deficiências e idosos.

Cine-Pireneus

Construído em 1919, originalmente em estilo neo-clássico, como teatro, foi reformado em 1936 no estilo art-decô, para funcionar como cinema.

Museu das Cavalhadas

Museu particular com rico acervo sobre as Cavalhadas, folclore típico de Pirenópolis.

Taxa de visitação: R$ 2,00.

Ponte sobre o Rio das Almas

Construída em 1946, no mesmo estilo da antiga, que era toda de madeira, é ponto de visitação pela beleza do lugar. Abaixo dela, um balneário público.

Museu Rodas do Tempo

Exposição permanente de motocicletas, bicicletas motorizadas, scooters e veículos antigos com mais de duas rodas que possuem motorização de motocicleta ou scooter.

Ruas e casarões coloniais

Retrato vivo da história de Goiás, o centro histórico preserva a arquitetura do período colonial.